05/11/2009

Aposentados reagem ao adiamento da votação sobre reajuste na Câmara Federal

 

O adiamento da proposta que vincula o reajuste das aposentadorias ao aumento do salário mínimo causou revolta entre mais de 500 aposentados que lotaram as galerias do plenário da Câmara dos Deputados, na última quarta-feira (04/11). Eles chegaram a dar as costas aos deputados.

"Não aceitamos o argumento de que não há dinheiro para os aposentados", disse Moacir Meirelles de Oliveira, secretário-geral da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap). Indignados com a protelação da votação, os aposentados prometeram manter a vigília durante toda a madrugada, para que a matéria seja apreciada hoje.

Depois de uma "manobra" da base governista, a votação foi adiada mais uma vez. Mesmo com a pressão popular, a sessão acabou sendo encerrada após um pedido de vistas a uma medida provisória (MP) que trancou a pauta de votação da Câmara dos Deputados. O adiamento da votação se deu porque o deputado João Carlos Bacelar (PR-BA), relator da MP 466, que trata de pequenas centrais hidrelétricas, pediu mais tempo para analisar as emendas apresentadas pelo Senado. Bacelar admitiu que até a sua avó tinha lhe telefonado pedindo apoio à proposta dos aposentados.

O líder do PSDB, deputado José Aníbal (SP), disse que o adiamento é a "prova provada" de que a propaganda e a ação do governo não se casam. "É só garganta", atacou Aníbal, acusando o governo de não conseguir responder às demandas sociais, de "torrar" o dinheiro público e não ter compromisso com os aposentados.

O deputado gaúcho Onyx Lorenzoni, vice-líder do DEM, propôs uma vigília dos deputados em plenário, para obstruir todas as votações até que se vote o projeto dos aposentados. O líder do Psol, deputado Ivan Valente (SP), cobrou da Casa a obrigação moral de aprovar a equiparação do reajuste das aposentadorias com o do salário mínimo. "É o mínimo que se pode fazer", disse.

Para o líder do PPS, deputado Fernando Coruja (SC), o adiamento foi mais uma demonstração da "enganação" do governo, resultado de uma negociação restrita "a algumas centrais sindicais pelegas".

O Senador Paim, autor do Projeto de Lei em questão, deixou em seu twitter a seguinte mensagem: “Sobre a votação do PL 01/07 (que trata do Reajuste da Aposentadoria), continuaremos a mobilização e as articulações para que a matéria seja votada ainda neste ano, com ou sem acordo”. Para a agência Senado, Paim fez um apelo. “Só quero que votem. Não se está obrigando ninguém a votar como os senadores votaram (pela aprovação). Não votar é se acovardar” disse Paim.

 

Leia também

29/02/2024

Desconto para sócios do SENGE nas Ofertas do Consumidor Dell

29/02/2024

Parceria sólida: SENGE renova acordo com Unisinos para descontos em cursos

29/02/2024

SENGE celebra com os novos engenheiros formados pela URI Erechim

Descontos DELL Technologies

Aproveite os descontos e promoções exclusivas para sócios do SENGE na compra de equipamentos, periféricos e serviços da DELL Technologies.

2º lugar em Preferência na categoria Sindicato

Marcas de Quem Decide é uma pesquisa realizada há 25 anos pelo Jornal do Comércio, medindo “lembrança” e “preferência” em diversos setores da economia.

Tenho interesse em cursos

Quer ter acesso a cursos pensados para profissionais da Engenharia com super descontos? Preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Realizar minha inscrição

Para realizar a sua inscrição, ao preencher o formulário a seguir, escolha o seu perfil:

Profissionais: R$ 0,00
Sócio SENGE: R$ 0,00
Estudantes: R$ 0,00
Sócio Estudantes: R$ 0,00
CURRÍCULO

Assine o Engenheiro Online

Informe o seu e-mail para receber atualizações sobre nossos cursos e eventos:

Email Marketing by E-goi

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Tenho interesse em me associar

Se você tem interesse de se associar ao SENGE ou gostaria de mais informações sobre os benefícios da associação, preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Entre em contato com o SENGE RS

Para completar sua solicitação, confira seus dados nos campos abaixo:

× Faça contato