06/06/2012

Bacias hidrográficas no RS recebem dejetos produzidos por 6,5 milhões de gaúchos

Em apenas 39 quilômetros de curso, o Rio Gravataí condensa o trajeto da vida à morte imposto aos rios gaúchos pelo descaso com o esgoto e as águas. Ele nasce cristalino, em santuários naturais entre Glorinha e Santo Antônio da Patrulha. No seu trecho inicial, sustenta 37 espécies de anfíbios, dá de beber a capivaras, jacarés, antas e macacos e abriga os últimos cervos-do-pantanal do Estado.

Depois, vai sendo assassinado quilômetro após quilômetro. Transformado em principal cano de esgoto de uma população de 1,2 milhão de pessoas, agredido por resíduos industriais e dessangrado pelas lavouras, chega ao fim da sua jornada escuro, fétido, sem vida.

O Delta do Jacuí, seu desaguadouro, é uma espécie de necrotério de rios, onde o Gravataí se reúne a um punhado de moribundos companheiros de sina. Em 2010, quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) elegeu os cursos de água mais ameaçados do país, para analisá-los no estudo Indicadores do Desenvolvimento Sustentável, nada menos do que três rios que desembocam no Delta apareceram entre os 11 considerados mais críticos: o Gravataí, o Sinos e o Caí.

A situação mais alarmante é a do Sinos, rio que serve de cloaca a munícipios como Canoas – ranqueada em um estudo recente do Instituto Trata Brasil como a oitava cidade com pior saneamento do país, entre 81 municípios com mais de 300 mil habitantes. No estudo do IBGE, foi calculada a chamada Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), a quantidade de oxigênio necessária para degradar a matéria orgânica presente na água (oriunda do esgoto doméstico, principalmente).

O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) estabelece um limite de 5 miligramas por litro para as águas da classe do Sinos e do Gravataí usadas no abastecimento público. Em 2005, o Sinos chegou a um DBO médio de nove mililitros.

— Quatro já acende o sinal amarelo. Mas, quando passa de cinco, a situação é crítica — diz o biólogo Clebes Brum Pinheiro, da Fundação Estadual de Proteção Ambiental.

É desses rios em agonia e do Guaíba – no qual desembocam nove bacias hidrográficas transformadas em desaguadouro da maior parte do esgoto produzido por 6,5 milhões de gaúchos – que sai a água que bebemos.

O coordenador do Programa de Pós-graduação em Recursos Hídricos e Saneamento da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Carlos André Bulhões Mendes, que também integra o Conselho Técnico Consultivo do SENGE, estima que, por falta de preocupação com o saneamento, 12 mil litros de esgoto sejam despejados por segundo nos rios que alimentam o Guaíba – 1 bilhão de litros de dejetos por dia.

Transformar esse manancial contaminado em água potável, mostram estudos, sai mais caro do que custaria dar um destino apropriado ao esgoto. E o resultado final levanta dúvidas. Jogados sem tratamento nos recursos hídricos, os dejetos contêm substâncias que não são eliminadas da água.

A imundície também servirá de combustível para a proliferação das algas que conferem sabor ruim à água fornecida na Capital. E essa é só uma parte dos efeitos do riocídio cometido pelos gaúchos.

— Se os peixes não morrem, ficam contaminados. Na lavouras, é comum fazer a irrigação com água poluída. E há ainda a multiplicação das áreas impróprias para banho — lista o presidente-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos.

Guardião de uma das nascentes do Gravataí, Noederci da Silva Santos, 56 anos, lamenta que não se reproduza em todo o curso do rio o capricho que ele dedica à Fonte Imperial, em Santo Antônio da Patrulha. Ele não crê que o líquido da torneira é o mesmo que um dia saiu da fonte.

— Em Porto Alegre a água tem gosto. Como pode? Olha como ela sai limpa daqui — observa o servidor público.

Saiba mais
Confira a situação dos rios no Estado

Zero Hora

Leia também

24/05/2024

SENGE sedia evento que debateu Sistema de Proteção contra inundações de Porto Alegre

24/05/2024

SENGE SOLIDÁRIO | Programa lança a campanha Solidariedade Técnica: Reconstruindo o Rio Grande

24/05/2024

Sócio SENGE: conte com assessoria para declaração do Imposto de Renda

Descontos DELL Technologies

Aproveite os descontos e promoções exclusivas para sócios do SENGE na compra de equipamentos, periféricos e serviços da DELL Technologies.

Livro SENGE 80 anos

Uma entidade forte, protagonista de uma jornada de inúmeras lutas e conquistas. Faça o download do livro e conheça essa história!

Tenho interesse em cursos

Quer ter acesso a cursos pensados para profissionais da Engenharia com super descontos? Preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Realizar minha inscrição

Para realizar a sua inscrição, ao preencher o formulário a seguir, escolha o seu perfil:

Profissionais: R$ 0,00
Sócio SENGE: R$ 0,00
Estudantes: R$ 0,00
Sócio Estudantes: R$ 0,00
CURRÍCULO

Assine o Engenheiro Online

Informe o seu e-mail para receber atualizações sobre nossos cursos e eventos:

Email Marketing by E-goi

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Tenho interesse em me associar

Se você tem interesse de se associar ao SENGE ou gostaria de mais informações sobre os benefícios da associação, preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Entre em contato com o SENGE RS

Para completar sua solicitação, confira seus dados nos campos abaixo:

× Faça contato