05/01/2023

Ceitec está hibernando, mas funcional

A Ceitec está em hibernação, mas funcional. É dessa forma que o presidente da Associação dos Colaboradores do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Acceitec), Silvio Luís dos Reis Santos Júnior, define a situação atual da empresa depois do início do processo de liquidação, anunciado em 2020, e pausado depois de um tempo. “Hoje somos 67 funcionários de carreira, e a empresa não está em produção. Para a retomada, há necessidade de investimentos em pessoal, infraestrutura e equipamentos de produção que estão parcialmente parados devido à liquidação e os baixos investimentos recebidos após 2014”, ressalta. Antes da liquidação eram 180 concursados.

A notícia dada essa semana pela titular do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Luciana Santos, de que a liquidação da empresa está oficialmente suspensa, é mais um capítulo desta turbulenta história que começou com o sonho do Brasil colocar o seu nome no seleto mapa mundial de produtores de semicondutores. A Ceitec foi criada em 2008, em Porto Alegre, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. O modelo estatal, como se sabe, não deu a agilidade necessária na tomada de decisões que uma empresa que se propõe a ser competitiva em um mercado tão dinâmico como o dos chips precisa. Foram muitas trocas de presidentes e estratégias. Sempre questionada por parte da sociedade por ainda ser dependente de recursos do Tesouro, a empresa enfrentou no início de 2019 os primeiros rumores de que seria fechada e os funcionários demitidos.

Na época, a informação foi negada pelo MCTI. Meses depois, porém, veio a decisão. O então secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini, destacou o quadro técnico da Ceitec, com mestres, doutores e especialistas, e grande quantidade grande de patentes e designs de circuitos desenvolvidos, e que, segundo ele, precisam ser preservados. Mas, reforçou a posição da baixa receita. “O investimento na Ceitec é de mais de R$ 800 milhões ao longo dos anos, e os resultados não têm sido atingidos. A empresa fatura cerca de R$ 15 milhões, e tem um orçamento por ano de R$ 86 milhões”, comentou. Em 2020, veio a recomendação para a extinção da Ceitec, decisão anunciada pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) – em dezembro do mesmo ano, foi publicado o decreto presidencial que oficializava a decisão. A perspectiva do governo Jair Bolsonaro era transferir projetos e patentes da empresa para uma Organização Social (OS), que ainda seria criada. “A decisão pela liquidação foi um equívoco, pois ignorou efeitos de atração de investimentos positivos que a empresa vinha tendo à época, mesmo com as dificuldades. Faltaram justificativas robustas para avaliar a companhia. Sem falar que não respeitada a curva de maturação de uma operação de semicondutores que, como se sabe pelos eventos que vemos no mundo todo, é longa”, avalia o engenheiro e professor Adão Villaverde.

Ele foi um dos principais articuladores da vinda da empresa para o Rio Grande do Sul e era secretário da Ciência e Tecnologia quando, em 1999, a Motorola bateu martelo e fez a doação dos equipamentos que deram o início à fábrica na capital gaúcha. Outra questão importante era que uma das expectativas que existia era que a Ceitec pudesse se tornar superavitária a partir de compras feitas pelo próprio governo – é desta forma que companhias deste perfil conseguiram avançar em outros países. A Ceitec projetou e produziu circuitos integrados de nível comercial, com certificações internacionais (Common Criteria, ICAR, EPCglobal, ISSO 9001, IGSEST), para várias aplicações.

“Muitos desses projetos se originaram em demandas específicas do próprio governo federal, que posteriormente não comprou os produtos, como o chip do passaporte, SINIAV, SISBOV, entre outros), frustrando o retorno de anos de investimento da empresa. Esses produtos estão disponíveis para comercialização, com a consequente geração de resultados financeiros”, afirma em nota a Associação dos Colaboradores do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Acceitec).

RETOMADA PASSA POR PLANO ESTRATÉGICO PARA O SETOR

A volta à cena da Ceitec passa pela definição de uma política nacional de semicondutores clara e eficiente para o Brasil. Isso significa que o modelo de atuação da empresa terá que ser repensado. “Essa retomada será à luz de qual será a estratégia de semicondutores do País. Isso que vai determinar como será a fábrica, o modelo de negócios e a estratégia”, afirma Adão Villaverde, que fez parte do Grupo de Trabalho do novo governo que recomendou à ministra a suspensão da liquidação da empresa.

Segundo ele, quem tem a visão de que a atuação da empresa deve seguir a lógica de meramente montar e empacotar chips, não vai gostar. “Sabemos que existem críticas de que a fábrica tem uma tecnologia ultrapassada, mas o fato é a Ceitec tem capacidade comprovada de larga diversidade de uso, e a sua estrutura física está qualificada para atuar com precisão em projetos sofisticados, desde que receba novos recursos e equipamentos”, avalia. Segundo ele, players com os quais a companhia muitas vezes é comparada, como Intel e Samsung, produzem chips que são o estado da arte. Entretanto, avalia

PROCESSO LEVOU À PERDA DE MAIS DE 100 TALENTOS

Desde o início do período em que está “hibernando”, a Ceitec perdeu mais de 100 talentos de diferentes formações acadêmicas, como físicos, químicos, engenheiros, além dos técnicos em eletrônica, mecânica e automação e os profissionais administrativos. O presidente da Acceitec comenta que há uma expectativa de reversão das demissões. “É imprescindível a participação prévia de sindicatos nos casos de demissões coletivas”, aponta. Segundo ele, este tema deve entrar em fase de julgamento em março deste ano podendo ser resolvido através de um acordo entre as diferentes partes envolvidas no caso.

 

*Fonte: Jornal do Comércio

Leia também

18/07/2024

SENGE-RS avança na Jornada da LGPD

17/07/2024

SENGE-RS presente no lançamento do livro do Grupo de Investigação (GDI) da RBS

16/07/2024

SENGE reforça a parceria de quase 30 anos com a Unimed

Descontos DELL Technologies

Aproveite os descontos e promoções exclusivas para sócios do SENGE na compra de equipamentos, periféricos e serviços da DELL Technologies.

Livro SENGE 80 anos

Uma entidade forte, protagonista de uma jornada de inúmeras lutas e conquistas. Faça o download do livro e conheça essa história!

Tenho interesse em cursos

Quer ter acesso a cursos pensados para profissionais da Engenharia com super descontos? Preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Realizar minha inscrição

Para realizar a sua inscrição, ao preencher o formulário a seguir, escolha o seu perfil:

Profissionais: R$ 0,00
Sócio SENGE: R$ 0,00
Estudantes: R$ 0,00
Sócio Estudantes: R$ 0,00
CURRÍCULO

Assine o Engenheiro Online

Informe o seu e-mail para receber atualizações sobre nossos cursos e eventos:

Email Marketing by E-goi

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Tenho interesse em me associar

Se você tem interesse de se associar ao SENGE ou gostaria de mais informações sobre os benefícios da associação, preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Entre em contato com o SENGE RS

Para completar sua solicitação, confira seus dados nos campos abaixo:

× Faça contato