17/08/2010

Emprego industrial tem maior alta em 9 anos

Por Alessandra Saraiva
Agência Estado

O emprego industrial mostrou alta de 0,5% em junho contra maio, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira, 10, em sua Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), o sexto resultado positivo consecutivo. Ainda de acordo com o instituto, na comparação com junho do ano passado, o emprego industrial em junho deste ano mostrou aumento de 4,9%, quinta taxa positiva consecutiva e a mais elevada desde o início da série histórica, em janeiro de 2001.

O economista da coordenação de indústria do IBGE, André Macedo, entretanto, ressaltou que o emprego industrial ainda não recuperou o mesmo patamar registrado no cenário pré-crise global, iniciada em 2008. "Se compararmos o nível de ocupação em junho deste ano com o registrado em setembro de 2008, o emprego industrial foi 2,5% inferior, em junho de 2010", afirmou.

Outro ponto destacado por Macedo foi o uso de uma base de comparação baixa, referente ao ano de 2009, época em que a indústria sentiu os efeitos mais agudos da crise global. "Temos, é claro, o uso de uma base de comparação baixa, referente ao ano passado; mas se observarmos o índice de média móvel trimestral de junho (usado para mensurar tendências), o emprego industrial tem mostrado trajetória de recuperação desde julho de 2009", comentou.

Na análise do IBGE por setores, Macedo observou que as indústrias que puxaram para cima o emprego industrial em junho estão entre as que mais sofreram com a crise global iniciada em 2008. "Estas indústrias, como as de máquinas e equipamentos, apresentaram recentemente bons desempenhos de produção industrial, e isso se refletiu no emprego", comentou.

São Paulo, que representa em torno de 35% do emprego industrial no País e cerca de 40% do parque industrial brasileiro, foi o local que mais impulsionou os aumentos no pessoal ocupado da indústria em junho, em todas as comparações. "O peso de São Paulo foi muito expressivo em junho, e o bom desempenho do local acabou favorecendo o cenário nacional", disse.

Sobre as perspectivas do emprego industrial para os próximos meses, o economista foi cauteloso e lembrou que o IBGE não faz previsões. "Vamos aguardar os próximos resultados da produção industrial para saber como o mercado de trabalho [na indústria] vai reagir", afirmou.

Folha da pagamento

O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria cresceu 3,3% em junho contra maio, na série com ajuste sazonal – após ter acumulado recuo de 0,8% nos dois últimos meses imediatamente anteriores.

Na comparação com iguais períodos do ano anterior, o valor da folha de pagamento real em junho aumentou 8,3% em relação a junho de 2009. No primeiro semestre deste ano, a folha de pagamento acumula alta de 4,6%. Porém, no acumulado em 12 meses o valor da folha ainda mostra queda, de -0,1% até junho. O IBGE ressaltou, entretanto, que até maio o acumulado em 12 meses da folha de pagamento mostrava queda mais intensa, de -0,9%.

Número de horas pagas cresce pelo 5º mês consecutivo

O número de horas pagas na indústria em junho subiu 0,3% ante maio, na série livre de efeitos sazonais, a quinta taxa positiva consecutiva neste tipo de comparação.

Na comparação com junho do ano passado, o número de horas pagas na indústria subiu 5,7% em junho deste ano. Esta foi a quinta taxa positiva consecutiva neste tipo de comparação, e a maior desde o início da série histórica.

Ainda segundo o instituto, no acumulado no primeiro semestre do ano, o crescimento no número de horas pagas na indústria foi de 3,5%. Mas em 12 meses, o número de horas pagas ainda registra recuo até junho, com queda de 1,1% até junho

Leia também

07/06/2023

Grupo de Trabalho do Programa SENGE Solidário promove reunião de avaliação

07/06/2023

Ferramentas de gestão dos riscos ocupacionais é tema de palestra da ARES

07/06/2023

CONGREGARH 2023 debate o tema “Olhar Sistêmico: Conexões que Importam”

2º lugar em Preferência na categoria Sindicato

Marcas de Quem Decide é uma pesquisa realizada há 25 anos pelo Jornal do Comércio, medindo “lembrança” e “preferência” em diversos setores da economia.

Livro SENGE 80 anos

Uma entidade forte, protagonista de uma jornada de inúmeras lutas e conquistas. Faça o download do livro e conheça essa história!

Tenho interesse em cursos

Quer ter acesso a cursos pensados para profissionais da Engenharia com super descontos? Preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Realizar minha inscrição

Para realizar a sua inscrição, ao preencher o formulário a seguir, escolha o seu perfil:

Profissionais: R$ 0,00
Sócio SENGE: R$ 0,00
Estudantes: R$ 0,00
Sócio Estudantes: R$ 0,00
CURRÍCULO

Assine o Engenheiro Online

Informe o seu e-mail para receber atualizações sobre nossos cursos e eventos:

Email Marketing by E-goi

Tenho interesse em me associar

Se você tem interesse de se associar ao SENGE ou gostaria de mais informações sobre os benefícios da associação, preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Entre em contato com o SENGE RS

Para completar sua solicitação, confira seus dados nos campos abaixo:

× Faça contato