15/04/2010

Dia Nacional de Conservação do Solo: o papel dos engenheiros

O Dia Nacional de Conservação do Solo, celebrado no dia 15 de abril, transcorre no exato momento em que a sociedade assiste estarrecida às sucessivas e previsíveis tragédias provocadas pelo excesso de chuvas em diversos pontos do país.

Aos casos mais graves como os do Rio de Janeiro e Niterói somam-se os episódios do Vale do Itajaí, de Angra dos Reis , a queda da ponte em Agudo, e tantos outros que em maior ou menor contundência revelam uma triste realidade: a falta absoluta de controle e responsabilidade por parte do poder público.

Depois dos deslizamentos do início de abril no Morro do Bumba, a televisão apresentou aos brasileiros uma seqüência de matérias em que engenheiros da Universidade Federal Fluminense davam conta de haver alertado para o risco que corriam os ocupantes daquela área, antes utilizada como depósito de lixo.

Pela mesma linha de reportagem, tomamos conhecimento de projetos de ocupação urbana promovidos pela Prefeitura de Niterói e por outros órgãos públicos, que literalmente passaram por cima do perigo, e hoje representam a materialidade de um crime de omissão cometido contra a vida de centenas de pessoas.

Cabe aos Engenheiros, apoiados formalmente por suas entidades representativas, desenvolver os trabalhos técnicos aos quais estão habilitados nas mais variadas áreas, da agricultura à construção civil, do planejamento à execução de serviços e obras.

Devemos permanecer alertas à ação predatória de todos os agentes públicos que não medem esforços (nem riscos, como se viu) para a execução de projetos políticos pessoais muitas vezes, amparados no paternalismo, clientelismo e na irresponsabilidade. 

Embora a data tradicionalmente seja comemorada com o enfoque do uso agrícola do solo, creio que ela deva servir para reflexão sobre todos estes problemas que vêm ocorrendo, e que são frutos de um conjunto de ações e omissões facilmente identificáveis, e não somente devidos à força da natureza.

O correto uso do solo agrícola e urbano, com base em mapeamentos que identifiquem as capacidades de uso destes solos é essencial para evitarmos tragédias.

Lembramos de iniciativas meritórias e trabalhos já realizadas aqui no RS, como o PRÓ GUAIBA e o RS RURAL (PRÓ RURAL 2000), para ficar nos exemplos mais recentes, que contavam com linhas de apoio financeiro, inclusive internacionais, do Banco Interamericano – BID no caso do primeiro e, do Banco Mundial – BIRD no caso do segundo.

Tais projetos desenvolveram trabalhos de uso e conservação do solo nas bacias hidrográficas que envolviam toda uma abordagem e ações conservacionistas, que ajudavam a evitar assoreamentos de rios, além de recuperar a vegetação nas margens e orientar critérios técnicos de uso do solo.
São ações importantes e que levam tempo para difusão.

Elas têm início, mas onde está a continuidade necessária? A EMATER do RS, de novo só para citar um exemplo, principal executora destas políticas para o meio rural, encontra-se cada dia mais defasada de profissionais qualificados para realizar este trabalho, e com dificuldades orçamentárias que a impedem de ampliar seus esforços.

Precisamos recuperar o Planejamento como função essencial de Estado, em todos os níveis, e assim desenvolver o conjunto de ações importantes para a sociedade, que vão desde a assistência técnica necessária até a fiscalização da ocupação irregular de áreas de risco.

Para isso, é preciso fortalecer as instituições que já existem e dotá-las de condições para que façam o seu trabalho. Pensem nisso senhores candidatos. Pelo bem comum.

José Luiz Azambuja
Presidente do Sindicato dos Engenheiros – SENGE/RS

Leia também

23/02/2024

ARTIGO | Lifelong Learning: O futuro do trabalho e crescimento econômico

23/02/2024

Artigo | Palavra do Murilo – Seis décadas de luta pelos engenheiros e pelo país

23/02/2024

Últimos dias para inscrição no Curso Online de Tratamentos Térmicos dos Aços

Descontos DELL Technologies

Aproveite os descontos e promoções exclusivas para sócios do SENGE na compra de equipamentos, periféricos e serviços da DELL Technologies.

2º lugar em Preferência na categoria Sindicato

Marcas de Quem Decide é uma pesquisa realizada há 25 anos pelo Jornal do Comércio, medindo “lembrança” e “preferência” em diversos setores da economia.

Tenho interesse em cursos

Quer ter acesso a cursos pensados para profissionais da Engenharia com super descontos? Preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Realizar minha inscrição

Para realizar a sua inscrição, ao preencher o formulário a seguir, escolha o seu perfil:

Profissionais: R$ 0,00
Sócio SENGE: R$ 0,00
Estudantes: R$ 0,00
Sócio Estudantes: R$ 0,00
CURRÍCULO

Assine o Engenheiro Online

Informe o seu e-mail para receber atualizações sobre nossos cursos e eventos:

Email Marketing by E-goi

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Tenho interesse em me associar

Se você tem interesse de se associar ao SENGE ou gostaria de mais informações sobre os benefícios da associação, preencha seus dados a seguir para que possa entrar em contato com você:

Ao fornecer seu dados você concorda com a nossa política de privacidade e a maneira como eles serão tratados. Para consulta clique aqui

Entre em contato com o SENGE RS

Para completar sua solicitação, confira seus dados nos campos abaixo:

× Faça contato